CONTOS   CRÔNICAS    POESIAS    TEXTOS DIVERSOS    REALIDADE & REFLEXÃO   FICÇÃO   CIENTÍFICA    MÚSICA    IDENTIFICAÇÃO      ESPECIAL    ARQUIVO     IMAGENS     LINKS    

                  ARQUIVO- 42-    

                    

                 NOVEMBRO - 2009 -  

DATAS DO MÊS

02/11 - FINADOS

15/11 - PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

19/11 - DIA DA BANDEIRA

                                   

NOSSO MUNDO PEQUENO  VIOLA CAIPIRA  O PERDÃO  HONESTIDADE

 

                NOSSO MUNDO PEQUENO  

                 Por Armando de Oliveira Caldas

 

       Muitas vezes nos apegamos ao conteúdo de nossas mentes, transformando em tragédias íntimas os nossos problemas. Isto não deixa de ser uma limitação de nossas possibilidades.

       A superação deste tipo de situação está em nós mesmos. Não nos entregarmos ao sabor de nossa fantástica máquina cerebral sem contestação. É necessário combatermos a visão curta que por vezes se encalacra dentro de nosso cérebro.

        Necessitamos raciocinar com lógica, procurando sempre o horizonte distante, livre de nossas imperfeições. O mundo pequeno não é caminho para nenhuma solução. Ela está no exterior, direcionada para o que acontece além de nosso corpo.

        Quantas vezes paramos e não enxergamos o que está  frente aos nossos olhos. Pura perda de tempo.

         Se abrirmos a janela e observarmos os pássaros, as árvores, os transeuntes, estaremos dando um enorme passo para evitarmos as armadilhas que nós mesmos preparamos para nossa mente, evitando muitas inverdades que apenas nos trazem angústia. Livrarmos deste mal é imperativo para a boa vivência.

          A excessiva preocupação com nossos problemas não traz benefícios, apenas nos levam às tensões. A calma e a tranqüilidade são caminhos seguros para nos mantermos ativos e prontos para usufruir a vida em toda sua plenitude. Diante de situações que nos pareçam desagradáveis sempre o bom senso deverá nortear nosso raciocínio. A alegria é o importante degrau de certas fases que vez ou outra perturbam nosso direcionamento para as boas coisas que muitas vezes estão muito próximas.

          Se pudéssemos ser eternas crianças encontraríamos a forma ideal da existência. Rir e brincar com as coisas que nos parecem difíceis é um fator importantíssimo para nosso dia a dia.

          Não somos donos do mundo, tão pouco devemos julgar que nada representamos dentro dele. Podemos criar e fazer muitas coisas, não importa nossa idade.

          A idéia desta mensagem é levantar nosso humor diante de tudo aquilo que julgamos desencontros com a vida que nos propomos.  

                                

 

VI0LA CAIPIRA

 

Por Luis Antonio Pontes Diogo

 

No repique da viola

Vancê mês fez sonhar

Alembro vancê tão formosa

Tão alegre a cantar.

 

Entre rimas e versos

Minha prenda querida

Nesta viola sentida

Vou te ama por toda vida.

 

Esta moda que a vida nos trais

 

É pra lembrá de um grande amô

Amô farso e traidor

Que me faz chorar de dô.

 

Viola caipira é assim

Faz a gente vibrar para valê

Faz a cabocla chorá de amô

E o caboclo chorá de dô.

 

O PERDÃO

Por José Maria Giannasi –ZECA

 

O perdão é sempre pedido

A qualquer erro cometido

Faz-se a toda hora

A maioria das vezes da boca para fora

 

O verdadeiro perdão

É aquilo pedido pela razão

É aquele que passa um mata-borrão

Naquilo que se atende um irmão.

13 de agosto de 2009 

 

                                            HONESTIDADE

                                                     Por Armando de Oliveira Caldas

 

               A honestidade, vez ou outra aparece, temos visto pessoas com muita responsabilidade capazes de achar um dinheiro e devolve-lo ao dono. Quando isto acontece até a Televisão é acionada para mostrar o herói.

               Necessitamos de muito mais. Se adolescentes e crianças fossem treinadas. Poderíamos tornar fatos assim normais. Será que não é o momento de mostrarmos ao mundo  outra face do brasileiro?

               Tudo depende de orientação antes de qualquer atitude.

                Uma experiência poderia ser colocado em prática:

                Numa vasilha colocar-se-iam doces e objetos que crianças gostam, cada coisa com seu preço. Próxima uma sexta com dinheiro suficiente para trocos, sem ninguém para vigiar.

                Se tudo correr com normalidade, cada criança comprará, pagará o objeto e até trocará o dinheiro se necessário.

                Se os alunos estiverem motivados a agirem corretamente terá havido uma elevação de dignidade.  Se for tomado a sério um processo deste tipo, aos poucos poderemos conseguir uma mudança de comportamento muito salutar.

                 Você acredita nisto? Eu acredito!