CONTOS   CRÔNICAS    POESIAS    TEXTOS DIVERSOS    REALIDADE & REFLEXÃO   FICÇÃO   CIENTÍFICA    MÚSICA    IDENTIFICAÇÃO      ESPECIAL    ARQUIVO     IMAGENS     LINKS

                      ARQUIVO-36    

             

 

                                             MAIO-2009  

                     

               flores para as mães  

 

DATAS DO MÊS

01/05 - DIA DO TRABALHO

10/05 - DIA DAS MÃES

 

                             CONVITE

O GRUPO DAS 4 IRÁ COMEMORAR O SEU 15º ANIVERSÁRIO E FARÁ 3 APRESENTAÇÕES NO TEATRO MUNICIPAL ANDRADAS – MG.

 

                             JUNHO 2009

                            DAS 19,00 ÀS 22,00 HS.

 

DIA 03 – QUARTA FEIRA

               CONCURSO DE POESIAS DAS 8ªS SÉRIES

 

DIA 04 – QUINTA FEIRA

                APRESENTAÇÃO DE CORAIS

 

DIA 05 – SEXTA FEIRA

                APRESENTAÇÃO DE MÚSICAS

 

CONTAMOS COM SUA PRESENÇA – ENTRADA FRANCA

 

                           GRUPO DAS QUATRO

                               ANDRADAS-MG  

            

 

MIRAGEM PENSAMENTO SAUDADE  TERRA SERTANEJA VELHO CHAPÉU SOLIDÃO  GALO VALENTE  O DESCONHECIDO     A VIDA E A POLITICA   VOOS RAZANTES DE AVIÕES DA FAB

                                                              MIRAGEM

Por Idaildo Henrique Prado  

Ainda há aquele deserto...

Ou será uma dessas miragens

Perdidas entre os nossos olhares.

Há também flores

Vivas...

Secas

Por todos os lados destes ares

Flores ou miragens,

Mas tempestades de areia.

Viaja os pensamentos,

Junto deles as flores passam...

São arrancadas

Pelas garras do destino,

Ou será ele também uma dessas miragens.

Miragens...

Desertos...

Vidas...

Mas, hoje infelizmente

A mais bela flor

Do deserto

Não abrirá

As suas maravilhosas pétalas

Para o sol.

Contempla-las...

Na noite que se aproxima

A lua estará sozinha,

Pois ela não estará mais presente

Ela se envelheceu,

Cansou.

O seu tempo... terminou.

A esta hora

Já caiu, sobre as areias do deserto

A procura

Da destruição final,

Onde por muito tempo...

A sua presença quase invisível

Enfeitou

A mais bela miragem

Deste deserto

Sem fim.

 

Você também é uma miragem???  

 

PENSAMENTO  

Por Idaildo Henrique Prado

Os ventos passam... lentamente

Sobre esse universo perdido

Onde só nos restam

Um único caminho

Que aos poucos, se escondem

As paredes...

Que ainda espelham

O reflexo da saudade.  

                                                                SAUDADE

                              Por Luiz Custódio de Oliveira

 

Saudade sempre lembrada.

Saudade do carro de boi na estrada.

Saudade que vem e que já fico

Saudade do meu avô.

Saudade que está em cada esquina

Lembro bem da Palestrina.

Saudade de um amigo

Muitos morreram, muitos estão comigo.

Saudade da fonte iluminada,

No domingo a busca de uma namorada.

Saudade está em cada coração,

Que saudade do Copão.

Essa saudade, não esqueço não,

Que saudade do Pavilhão.

Saudade tem nome,

Que saudade da Vargem do Rigone.

Saudade amaluca, saudade maltrata,

Que saudade do Papa.

Saudade enche carreta,

Que saudade da Tulha Preta.

Saúde vinda

Que saudade do mercado da dona Lucinda.

Saudade muito forte

Que saudade de Aparecida do Norte.

Saudade que vem, saudade que vai

Que saudade do Paraguai.

Saúde que tem lembrança

De quando era criança.

Saudade é para gente vive

Grupo das “4” eu amo você.

Saudade está em todo lugar

Izabel, enquanto viver vou te amar.

Saudade grande e pequena,

Saudade da dona Helena.

Muita gente fala que saudade é coisa do passado

Mais importante é que Jesus caminha a nosso lado.  

TERRA SERTANEJA

 

Por Neuli Aparecido Domingues

 

No sertão onde eu nasci

 é um lugar especial.Acordo

 bem cedido com o cantar

 dos passarinhos, cantando

 no meu quintal.

Nos galhos da paineira

os passarinhos festejam e eu

 não me esqueço de admirar a

 beleza desta terra sertaneja

 onde Deus me fez morar.

Minha casinha simples de

 pau-a-pique, feita ali perto da

 bica, onde a água purifica a

Riqueza e a beleza desta terra

 sertaneja, onde Deus também

habita.

Lá no alto da montanha, o

 vento sopra sem cessar, os

 galhos das árvores balançam,

fazendo uma bela dança

tirando as impurezas do ar.

Mostrando a beleza e a

riqueza desta terra sertaneja

que Deus fez e de graça vem

nos dar.

Quando o sol se vai

embora, a lua e as estrelas vem

brilhar. O meu sertão fica tão

belo, suspiro pra não chorar.

Sozinho na escuridão

fecho os olhos e sinto a brisa

me tocar, agradeço a Ele pela

beleza desta terra sertaneja,

Deus comigo sempre está. 

VELHO CHAPÉU

Por José Maria Giannasi

 

O meu velho chapéu

Que vive abandonado

Condenado como um réu

No cabide onde está colocado.

 

Sente saudade das jornadas

Pelos sertões tocando boiadas

Por este mundão brasileiro

Sempre feliz e altaneiro.

 

Agora não adianta lamentar

Perdeu brilho e valor,

Pois não vai mais caminhar

Levando gado pelo interior.

 

Tudo está terminado

Vou cuidar do velho chapéu

Para ser sempre lembrado

Como um valioso troféu

 

(Osasco/SP, 15 de fevereiro de 2009)  

SOLIDÃO

 

Por Izabel Aparecido Lázaro

 

    Hoje a solidão bateu em minha porta.

    Dentro do meu quarto ela tomou conta de todo o meu espaço e parecia que tudo havia acabado.

    A tristeza tomou conta de meu coração e eu chorei.

    Peguei carona nas ondas do pensamento onde naveguei e tive muitas lembranças alegres e tristes. Tranquei a tristeza em um baú e joguei a chave fora.

    A alegria guardei no cofre do meu coração.

    Peguei carona nas asas do vento onde voei e em êxtase fui arrebatada no topo de uma montanha onde conversei com Deus e só o tempo me trouxe novamente para o meu quarto que, abrindo as porta eu via todos me esperando com amor e alegria, sorrindo, saudando com uma salva de

 palmas e eu disse: adeus “solidão”.  

                                              GALO VALENTE

                                 Por Luiz José Diogo

                                             01 de março de 2009  

Esta noite eu escutei um barulho no terreiro

Levantei para ver o que era, era gambá no galinheiro.

Ele veio lá da mata disfarçado de mansinho

Atacou minha galinha para comer meus pintinhos

A galinha reagiu, deu-lhe de bicada.

Acordou o galo índio que também saiu na pancada

Aprontaram uma gritaria acordando a galinhada.

E numa luta de morte atravessaram a madrugada.

 

Quando foi de manhãzinha, em que o dia amanheceu.

Voltei no galinheiro para o que aconteceu

O gambá apanhou tanto que por sorte não morreu

Com uma vergonha danada lá na mata se escondeu

Quando vi minha galinha, tive pena da coitada.

Em defesa dos pintinhos estava toda despenada

Também vi meu galo índio se exibindo no terreiro

Empunhando sua espada como um soldado guerreiro

Mandou dizer para gambá se for macho é pro voltar

Atacar seu galinheiro.

                                

                                        O DESCONHECIDO

 

                            Por Joaquim José de Pontes

 

Os simples não constroem tronos

Não sonham com o poder

Acreditam na vida

Lutam para não perder o ser

Valem tudo quanto sabem

Fazem aquilo que é confiado

Demonstram não ser nada

Fazem e não aparecem

Cantam e não ouvem sua voz

Choram e suas lágrimas iniciam e

deleitam sobre os rios

Manifestam sua gratidão

Cobram o preço sem valor

Valorizam ao redor e tentam destruir seu alicerce

Falam da vida e lutam contra

Manifestam o sim e não está à frente

Criam coragem e na hora de lutar

Descobrem sua pequenez

Os simples são alicerçados pela PAZ

No mundo dos homens. 

 

                                    A VIDA E A POLÍTICA

                                                              

                                                       -crônica-

                                                       Por Armando de Oliveira Caldas  

 

        Podemos dizer que a vida é passageira, mas é através dela que damos os passos para alcançar nosso lugar neste mundo. Adquirimos nossa sabedoria, traçamos planos e mais planos até encontrarmos o que achamos ser nossa plenitude.

        Ser livre nos pensamentos sempre respeitando a posição das outras pessoas. Impor idéias nem sempre é o caminho ideal.

        Neste sentido vamos encontrar os grandes desencontros de nossa atualidade, onde uma grande maioria dos pensamentos é emanada pelos meios de comunicação. Filtrar tudo que ouvimos é uma necessidade cada vez maior em nossos dias.

        Quantas vezes repassamos coisas repetidas pela grande mestra a TV, sem ao menos examinarmos se aquilo que estamos dizendo realmente é o correto. Existem umas enormidades de falhas que induzem ao pornográfico, até ao crime. Todo cuidado é pouco diante até das brincadeiras. A repetição insistente de slogans oferece muitas vezes uma nociva lavagem cerebral.

        Mensagens políticas são confeccionadas visando a mente dos telespectadores e na maioria das vezes são apenas frutos de interesse de candidatos. No correr deste ano e principalmente no próximo teremos uma verdadeira batalha de palavras. Já cansamos de ver isto acontecer e ainda somos lesados em nossas escolhas.

         Uma verdadeira indústria é montada para mostrar um homem ou mulher inegavelmente perfeita. Cuida-se da aparência, da forma de exprimir diante das câmeras, inclusive dos textos. Nada passa desapercebido pela equipe. O que podemos fazer diante disto?

          Parece que não temos resposta, mas se a inteligência está sendo utilizada, temos que convir que as pessoas frente aos vídeos também podem utilizar a delas. Como? Observando a origem, o passado, o enriquecimento ilícito e muito mais.

          Apesar da decepção o Brasil é uma grande Nação, capaz de superar obstáculos e de nos fornecer uma visão futura magnífica. Temos que adotar o típico modo mineiro: CONFIAR DESCONFIANDO.

 

       

                                  

                    VOOS RAZANTES DE AVIÕES DA FAB

                                  -crônica-

                                       Por Armando de Oliveira Caldas  

       Antes do horário habitual do almoço, no dia 13 de maio de 2009, fomos surpreendidos com o roncar de quatro aeronaves militares que passaram em vôo rasante sobre a cidade. Como não é acontecimento normal isto chamou muita a atenção.

       Há quem tenha dito que estavam dando caça a um OVNI. A partir disto nada mais pode ser dito. Por outro lado a base de treinamentos não é tão distante desta cidade, devendo a origem dos mesmos serem de Pirassununga-SP.

       Há muitos anos o assunto OVNI faz parte do conhecimento geral, havendo crédulos e céticos. Já é algo que o tempo não apaga.

       Caminhando pelo lado da possibilidade há muito para contestar, mas, também há milhares de informações que colocam em dúvida a não existência. Da mesma forma que estamos engatinhado na pesquisa espacial, inteligências super desenvolvidas podem estar a milhares de anos luzes em alguns planetas capacitados. Afinal, são bilhões de estrelas  com planetas de todos os tipos.

 PRIMEIRA  PERGUNTA:

       --- Se escondidos num cantinho da Via-Láctea, um pontinho de poeira que chamamos de nosso mundo, poderemos ter a audácia de dizer que somos os donos do UNIVERSO?

       O maior peso para admitirmos a intrusão de alienígenas ou objetos enviados por eles é a distância entre as estrelas que obviamente, em nossa mente, nos impede de pensar que  possam chegar até aqui.

       Façamos uma pequena análise, se nos pouquíssimos anos de evolução técnica deixamos o cavalo para viajarmos em confortáveis aviões, utilizarmos celulares e computadores, o que não estará acontecendo dentro de mais 1.000 anos? Assim pensando, imaginemos um planeta cuja evolução técnica esteja 100.000 anos à nossa frente ou até menos.

SEGUNDA PERGUNTA:

      --- Você ainda acredita que a Terra seja a única privilegiada com a inteligência?