CONTOS   CRÔNICAS    POESIAS    TEXTOS DIVERSOS    REALIDADE & REFLEXÃO   FICÇÃO   CIENTÍFICA    MÚSICA    IDENTIFICAÇÃO      ESPECIAL    ARQUIVO     IMAGENS     LINKS

                         ARQUIVO - 18 -           

           

                                               JULHO - 2007

DATAS DO MÊS

13-07 - INÍCIO PAN-AMERICANO

ULTIMA SEMANA - FESTA DO VINHO EM ANDRADAS

           

  DIREITO  HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA  AQUECIMENTO GLOBAL LIBERDADE DE EXPRESSÃO

     

DIREITO

 Por Nilza Alves de Pontes Marques

Com que direito

Você sai de sua cidade,

Vestida de falsidade,

Botar banca no sertão.

Se não me engano,

Você diz ser refinada,

Mas p’ra nós não conta nada,

O que vale é o coração.

 

Não pense, moça,

Que vivemos na moleza,

Pois perto da natureza,

Nossa alma abre em flor.

Você de fora,

Vai chegando e logo atira,

É muito mais que caipira,

Destilando o seu rancor.

 

Desce do salto,

Despe a roupa de boneca,

E os seus ares de maneca.

Vê se não torce o nariz,

Sua finura

É uma pose estudada,

Com a leveza de uma unhada

Sai fora todo o verniz.

 

Enquanto isto

O matuto deita e rola,

Não precisa de escola,

A pureza o extasia.

Tem o perfume

Do mato que desce a serra,

Com o amor da nossa terra,

Vai tecendo sua poesia.

                      HISTÓRIAS QUE O POVO CONTA

                                                                                             Por Anita Lopes

 

            NO TEMPO EM QUE O ESPELHO NÃO ERA DIFUNDIDO

           Um certo cidadão foi a uma grande metrópole adquirir diversos produtos para si e sua família. Morador em uma aldeia distante, o nosso personagem não tinha conhecimento dos recursos de uma cidade grande.

         À procura de novidades ele se deparou diante de um quadro, que o deixou atônito, pois nele estava estampada a figura de seu saudoso pai.

          Passado o espanto imediatamente ele refletiu: ---Meu pai está fazendo milagre, e, para sua casa levou o quadro.

         Todo dia, em uma determinada hora, o tirava do esconderijo e o mirava embevecido julgando rever o seu querido pai.

         Um dia a esposa percebeu o seu recolhimento diário e assim que ele saiu do quarto foi procurar a causa de seu entretenimento. Encontrou a relíquia guardada com todo carinho numa bela caixa azul.

         Curiosa, se viu diante do miraculoso quadro, e tornou-se cheia de Ira dizendo em alta voz:

         --- É essa mulher horrorosa que quer tirar o meu marido de mim? Essa bruxa velha e feia sem rival?

          

 

                                       AQUECIMENTO GLOBAL

                                                                             Por Armando de Oliveira Caldas

            A Terra possui um comportamento bem parecido com um organismo vivo, o que de fato deve ser. Nasceu há bilhões de anos, está na meia idade. Uma bola viva no espaço.

            Sua pele é formada pelos continentes e oceanos. Faz parte do sistema rochoso que vagarosamente desliza sobre uma massa quente e pastosa na forma de grandes placas.

            No começo, sobre as águas existia apenas um enorme continente, mas justamente devido ao movimento das referidas placas se partiram em outros menores resultando no que conhecemos.

            Tal movimento age como ondas, cujas vagas podemos ver nas elevações existentes, tanto no espaço onde residimos quanto no fundo dos oceanos. Dentro do mesmo processo, onde hoje é terra, poderia ter sido mar em épocas remotas e vice-versa. Deve ser também lembrado que terremotos, erupções vulcânicas e outras vulnerabilidades no solo podem ter ligação com o mesmo.

            Causas externas como queda de meteoros, asteróides ou até de cometas, também devem ter afetado a Terra.

            Além das mudanças topográficas mencionadas existem outras que atuam neste planeta vivo. Entre elas o calor e o frio, fatores determinantes para a humanidade.

             Como planeta ele faz um eterno caminho em volta do sol, recebendo luz e calor que se alteram nas regiões conforme as posições durante um ano.  Quanto a isto tudo funciona como se fosse um perfeitíssimo relógio. Temos estações e períodos certos para plantio, colheita e para todas as demais atividades.

              No correr da existência de nossa grande casa a glaciação é uma realidade, da mesma forma que épocas de calor. Um biorritmo com picos distanciados. No entanto dentro dos grandes picos distanciados existem outros menores e ainda dentro de cada um os que poderiam ser chamados de micros. Estes últimos podem ser percebidos dentro de apenas uma geração. Assim, para exemplo, em 1940 a temperatura estava muito quente, caindo até 1980, devendo, portanto, aumentar até 2020 e depois cair novamente.

              Diante do exposto, por que nos preocupar?

              Estaríamos num processo normal, não fosse a participação destrutiva do homem. A poluição é necessária, retém o calor na superfície, para isto todos os organismos vivos colaboram com a emissão do gás carbônico, mas a excessiva emissão através das incontáveis fábricas e de bilhões de veículos vem agregando uma quantidade acima do necessário na atmosfera. Com isto o planeta está entrando no processo de grande pico de calor, com o derretimento das geleiras, talvez muito antes do tempo.

             É comum falar-se do efeito estufa, justamente o que foi explicado. Sem ele não há vida, mas ao contrário, devido a uma retenção maior dos raios solares a vida também pode se extinguir, mutar ou migrar para áreas de menor impacto.

             Nas glaciações a vida não prolifera. Nos períodos chamados quentes é que ela se expande, razão de nossa própria existência, mas desde que haja um equilíbrio, principalmente para nós humanos.

             Desde que o homem, na sua inteligência descobriu o dinheiro como forma de manter-se e de formar grandes economias ele se apegou tanto que desprezou a própria natureza. Na realidade estamos na terra para usufruir a vida tanto quanto os demais animais. Verdade não ser o ideal das pessoas, mas não é necessário chegarmos a ponto de estragarmos a própria casa. Não temos outra, e agora?

           Demorou em que houvesse uma conscientização, que esperamos não seja tardia. Poluir um pouco não é pecado, mas uma contenção é urgente.

           O absurdo é que ainda exista quem defenda uma continuidade, alegando não se tratar do CO2, ou que uma atitude neste sentido deixará muitas nações sem opções de progresso. Infelizmente também é uma realidade, mas algo tem que ser feito. A busca de energias não poluentes poderá ser a solução. No caso do Brasil podemos até dizer que estamos cumprindo nossa parte com o álcool, com o biodiesel ou com as hidrelétricas.

            É o momento da ciência trabalhar, de encontrar soluções que atendam a todos os povos. Assim, quem sabe, tudo não passe apenas de um susto.

         

                                     Liberdade de Expressão

                                                                                            Por Armando de Oliveira Caldas

       Falar ou escrever o que se pensa principalmente na internet é muitas vezes tornar públicos sentimentos que deveriam ser guardados. Tomando-se atitudes não pensadas corremos o risco de uma co-responsabilidade em fatos muitas vezes negativos.

       É uma realidade, a palavra possui uma força enorme, capaz de mudar  comportamentos. Pensar naquilo que estamos transmitindo é importantíssimo em nosso relacionamento. O sentido positivo de nossas colocações é uma maneira de criarmos bons fluxos de uma verdadeira sabedoria.

        Quando pensamos num mundo caótico estamos atraindo tudo que é ruim. Quando colaboramos, ou melhor, apoiamos comentários que nos deixam abatidos sob o cunho de uma verdade nos embrenhamos dentro da negatividade. Muito mais importante seria adotarmos uma fuga, procurando sempre nos libertarmos de tais amarras, o que não é fácil.  Afinal os fatos que nos aborrecem, geralmente acontecem. Encontramos facilmente na mídia e eles afetam as mentes e trazem inconformismos. Não acompanhar o dia a dia também não é conveniente, seria viver no mundo do “faz de conta”. Porém, os meios de comunicação poderiam amenizar equilibrando informações, intercalando assuntos que ofereçam bem estar, ou seja, exposição de pessoas que fazem o bem, e o número destas é bem maior do que as criminosas.

        Voltando à internet vemos muitos assuntos que se precipitam para formas nem sempre convenientes, porque falar mal é mais fácil. Atacar parece ser a solução de problemas, mas talvez isto só traga aquilo que ninguém quer, mas que teimam em evidenciar. Particularmente percebo que um dos maiores absurdos nos fóruns é a tendência de denegrir a própria nação como se os que estão ali debatendo não pertencessem a ela.

         É necessária uma melhora na forma de posicionarmos diante do mundo.